segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Pensamento/Lema da semana #108



"Uma família feliz 
(…) é uma família saudável,
na qual o bem-estar de cada pessoa 
é fomentado e protegido,
em benefício de toda a família".
Dr. Phil McGraw

««»»

Esta semana, vou afastar-me um pouco da Internet. 

Desde há 2 semanas que ando a sentir-me excessivamente cansada, pois não tenho dormido lá muito bem. O meu trabalho já é uma correria, e sinto que assim não ando tão produtiva, o que me chateia. Há pois que reconhecer que preciso de uma pausa.

No fim-de-semana, ainda tentei, mas não consegui agendar nenhum post. 

Felizmente vou tirar 2 dias de férias, na Sexta e na Segunda-feira, o que, contando com o feriado, já me vai permitir 5 dias de descanso.

Também não vou ter objectivos de organização cá em casa. Quero sim fazer algumas actividades de relaxamento.

Mas não considero esta pausa como algo negativo. O descanso serve para recuperar energias e seguir em frente. E para isso, estou mais que motivada.

Até ao meu regresso. Fiquem bem!

Foto:  Kaitlin M

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Sugestão da semana #36: «controlar as preocupações»

Numa altura em que o stress abundava na minha vida (ok, ainda abunda, mas agora controlo-o melhor!), o Sr. J. emprestou-me este livro: "Como evitar preocupações e começar a viver" do Dale Carnegie. É igualmente esta a minha sugestão para esta semana, que tente descobri-lo e que o leia de uma ponta à outra.

Dale Carnegie é uma daquelas pessoas inspiradoras que conseguiu transformar não só a sua vida, mas a de milhares de pessoas. Era essencialmente um formador em desenvolvimento pessoal. Tinha o dom da palavra e incentivava as pessoas a fazerem transformações nas suas vidas, que lhes permitissem alcançar os seus sonhos.

Neste livro ilustrado com imensas histórias reais, o autor dá-nos a conhecer uma série de técnicas para lidar com situações difíceis e com as preocupações que daí advêm. É também um manual que visa aumentar a auto-estima e a felicidade das pessoas.

Aborda diversos assuntos: como lidar com preocupações do dia-a-dia ou com outras mais difíceis, com lidar com as críticas alheias, como se tornar mais produtivo no trabalho e gerir melhor o seu tempo, como lidar com preocupações financeiras, como controlar o cansaço e a melancolia, bem como alcançar boa disposição e uma sensação de paz mental e felicidade. O livro inclui diversas dicas, exemplos práticos, resumos e uma série de regras para apreender. Foi lançado em 1948, mas garanto que foi um livro visionário, absolutamente adequado aos dias que correm.

Redescubra o prazer de viver controlando as suas preocupações, e tenha um final de semana feliz!

Foto: Civilização Editora

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

2 erros que cometi na organização da minha casa

A organização da minha casa foi em tempos uma fonte de stress. E porquê? Porque cometia 2 erros (que tenho de aprender a não repetir): 

1.º Querer fazer várias tarefas ao mesmo tempo 
Eu trabalho fora e o tempo escasseia, mas mesmo assim não era incomum tentar arrumar todas as gavetas do meu quarto, passar roupa a ferro, desfazer-me "lentamente" da tralha (porque tudo era escolhido minuciosamente)… quando dava por mim tinha a casa mais desarrumada que inicialmente.

A solução é concentrar-me numa só tarefa. Hoje arrumo uma gaveta, amanhã trato da roupa, etc. Assim consigo ir arrumando aos poucos, sem transformar a casa num campo de batalha.

2.º Querer alcançar os objectivos demasiado rápido 
Este erro vem na sequência do primeiro. Ok, querer transformar a minha casa num lugar mais organizado, deixava-me super-entusiasmada. Começava por organizar a mil à hora. Pois... mas, por razões óbvias não conseguia fazer as mudanças pretendidas num ou dois dias. E depois desanimava... estava dias sem fazer nada, porque não sabia por onde começar.

Hoje mudei de perspectiva. Vou fazendo um pouco a cada dia que passa. Pode não parecer muito, mas na verdade obtenho mais resultados do que antes.

Já lá diz o povo "devagar se vai ao longe". Sei que um dia terei o refúgio que pretendo cá em casa, mas entretanto vou-me divertindo com a jornada, com as pequenas mudanças do dia-a-dia.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Criando memórias felizes de infância: os diários da minha filha

Quando fiquei grávida, pensei que era um momento tão especial, tão único, que seria uma pena não eternizar essas memórias. 

Escrevi assim um diário para a minha filha, repleto de fotografias. Ainda não lho mostrei, mas brevemente tenciono imprimi-lo e mostrá-lo pela primeira vez. A Letícia saberá coisas tão interessantes como: a forma engraçada como dei a notícia ao papá, quem lhe deu as roupinhas e presentes, a sua árvore genealógica, factos interessantes do seu dia e ano de nascimento, o primeiro sorriso, os primeiros passos, as traquinices… 

Há dias estava numa livraria e a minha filha pediu-me para lhe comprar um livro: “O Livro de Segredos da Merida”. Quando o folheei, gostei imediatamente da ideia. Isto porque se trata também de um diário, mas desta vez com perguntas dirigidas às crianças. Daqui a uns anos, certamente vai relê-lo e sorrir com as suas convicções aos 4 aninhos. Por outro lado, para nós pais, é uma forma gira de conhecermos melhor os nossos filhos. 

Comprei o livrinho e temos andado a preenchê-lo juntas. Eis alguns factos sobre a minha filhota: 
- Quando for grande sonha viver no Algarve e quer ser bailarina (até desenhou uma, em fato de ballet). 
- Quando iniciou o diário só media 1,04 cm… (o diário tem muita variedade de perguntas!!). 
- O animal preferido é a suricata (a quem é que ela sairá?… he, he), a música é o “I don’t believe you” da Pink e a flor é a orquídea. 

Agora a minha frase predilecta, que me deixou enternecida. O que a faz mais feliz: “É a mamãzinha! Sou sempre feliz com a minha mamã ao lado”. Não é uma querida, a minha filha? 

 E pronto! É mais uma ideia para a criação de memórias felizes.

Foto: Mafalda S.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Como ganhar mais tempo no seu dia-a-dia

Nos dias que correm, a nossa vida é uma autêntica correria (falo por mim!). Contudo, podemos adquirir alguns hábitos, que nos fazem ganhar tempo e que diminuem o nosso stress. Eis 56 sugestões

1. Pare de arranjar desculpas para adiar o que tem de fazer. Diga não à procrastinação e aja já.

2. Acorde mais cedo. Se acordar todos os dias 2 minutos mais cedo do que no dia anterior, no final do mês ganhará mais 1 hora por dia, sem que o seu corpo se ressinta. Claro que não convém deitar-se às tantas, durma o suficiente. 

3. Comece por verificar a sua lista de tarefas, e calendarize o seu dia. Deixe as tarefas complicadas para as horas mais produtivas. 

4. Marque 15 minutos no alarme do seu telemóvel e concentre toda a sua atenção na realização de dada tarefa. Após este período pode fazer uma pausa. Irá surpreender-se com a quantidade de tarefas que conseguirá concluir. 

5. Concentre-se em fazer uma tarefa de cada vez. 

6. Elimine a tralha da sua casa. Com isto pode reduzir, em média, 40% do trabalho doméstico.

7. Tenha um sítio certo para guardar cada objecto. Isso evitará que perca tempo à procura dos mesmos.

8. Guarde os objectos próximos do local onde os vai utilizar. 

9. Adquira organizadores lá para casa (cestinhos, frascos, organizadores de gavetas, etc.). Estes evitam que os seus objectos se misturem dentro dos móveis ou  prateleiras.

10. Faça uma ronda diária pela casa (de uns 15 a 30min), eliminando a tralha e arrumando o que está fora do sítio. 

11. Envolva todos os elementos da família na organização, incluindo as crianças. Se todos ajudarem nas tarefas chatas, sobra mais tempo para actividades de lazer em família. 

12. Não queira fazer tudo no trabalho, delegue tarefas. Contudo, para ficar descansado, de início perca algum tempo a explicar como se faz. É importante que sinta que delegou em alguém que está à altura da tarefa. 

13. Aprenda a dizer “Não!” quando necessário. Isto não significa que não deva ajudar os outros de vez em quando, mas não deve aceitar tarefas que vão além das suas capacidades. 

14. Evite os ladrões de tempo, ou seja, aqueles colegas que em vez de se concentrarem no trabalho, querem dar azo a bisbilhotices, reclamar de alguém ou falar de coisas que não acrescentam nada. Para além de o fazer perder tempo, conversas demasiado pessimistas roubam a sua energia, desmotivando-o e desconcentrando-o. 

15. Tente reduzir a quantidade de reuniões em que tem de participar.

16. Faça uma ordem de trabalhos para as suas reuniões, para não deixar nenhum assunto pendente. 

17. Evite distracções, como consultar o e-mail, ir ao facebook, ver TV… quando necessita de despachar uma tarefa. 

18. Bloqueie ou cancele a recepção de e-mails inúteis: publicidade e afins. 

19. Não perca demasiado tempo ao telefone. Pondere se todas as chamadas são necessárias, bem como a sua duração. 

20. Não dê o seu contacto telefónico a qualquer pessoa ou empresa. 

21. Se trabalhar fora, deixe clara a mensagem de que, fora do seu horário, só o devem incomodar em situação de emergência. 

22. Mantenha a sua mesa de trabalho limpa, organizando os papéis assim que chegam. Poderá deitar fora, de imediato, correspondência sem interesse (por exemplo publicidade) e organizar a restante por ordem de prioridade. 

23. Traga um saquinho no seu carro. Ao invés de entupir os compartimentos das portas com papéis, plásticos e afins, ter um saquinho à mão permitir-lhe-á eliminar o lixo logo no fim de cada viagem. 

24. Tenha uma agenda para anotar as suas tarefas e calcular o tempo que necessita para cada uma delas. 

25. Inclua na sua agenda, tempo para as actividades que lhe dão prazer (inclusive para estar consigo próprio). 

26. Traga sempre um bloco consigo, onde possa apontar boas ideias de organização do seu tempo. Estas podem surgir-lhe quando menos espera e, se não tiver onde escrever, é fácil esquecê-las.  

27. Anote todos os aniversários na sua agenda e tente comprar o maior número de presentes de uma só vez. 

28. Mantenha uma lista de contactos próximo do telefone e agende todos os números que utiliza no seu telemóvel. 

29. Planeie as épocas festivas antecipadamente.  

30. Evite compromissos que só faz por obrigação. 

 31. Elabore um orçamento. Mantenha um registo das suas entradas e saídas de dinheiro, de modo a saber a qualquer momento a situação das suas finanças. 

32. Logo que receba o seu vencimento, coloque 10% na sua poupança. 

33. Pague também nesta altura, todas as suas contas. 

34. Reduza o número de contas bancárias. 

35. Elabore uma ementa, de preferência mensal (para ter de ir menos vezes ao hipermercado). 

36. Tenha um modelo de lista de compras. Anote os produtos que vai precisar, ao longo do mês. Se necessário adicione algum ingrediente extra, previsto na sua ementa. 

37. Concentre-se em comprar o essencial. Dispense o que não é realmente necessário (mesmo que esteja em promoção). 

38. Tente comprar tudo no mesmo espaço comercial. 

39. Corte os legumes que dão para congelar (feijão-verde, cenoura, abóbora, etc.), evitando perder tempo a prepará-los no dia-a-dia. 

40. Guarde no congelador, em sacos separados, a quantidade de carne ou de peixe para uma refeição. 

41. Congele pão, evitando ir todos os dias à padaria. 

42. Lave a louça enquanto vai cozinhando. 

43. Lave de imediato, o que for preciso. A banheira, depois do banho; o lavatório depois de escovar os dentes; o lava-loiças depois de lavar a loiça… 

44. Não permita que haja roupa espalhada pela casa, peça a colaboração de toda a família. Roupa lavada deve ser guardada no armário, roupa suja deve seguir para o cesto respectivo na casa-de-banho. 

45. Na limpeza, concentre-se em limpar uma divisão de cada vez. Se quiser fazer tudo em simultâneo, dedique um dia inteiro para esse objectivo. Caso contrário, corre o risco de começar muita coisa e depois stressar por não conseguir acabar. 

46. Em cada semana, opte por limpar mais a fundo uma área específica da casa. 

47. No estendal, vá estendendo e colocando os pares de meias juntos. Como não é algo que se passe a ferro (digo eu!), poderá apanhá-las e dobrá-las de imediato, sem ter de andar à procura de meias perdidas. 

48. Ao passar a ferro, faça montinhos de roupas idênticas (camisolas em cima de camisolas, panos de cozinha em cima uns dos outros, etc.). Assim, perde menos tempo a arrumar. 

49. Doe as roupas que estão em condições, mas que sabe que não volta a vestir. 

50. Não saia de casa sem fazer a cama. 

51. Descalce os seus sapatos assim que chega a casa. Como podem ter sujidade própria da rua, evitará ter de andar sempre a limpar o chão. 

52. Tenha um chaveiro logo à entrada de casa, para não perder tempo à procura das suas chaves. 

53. Prepare de véspera as roupas que vai levar para o trabalho, a carteira, o almoço, etc.. Assim, na manhã seguinte, não necessita de andar a correr. 

54. Em cada Sexta-feira faça uma revisão das suas tarefas. Confira o que ficou pendente e faça um reajustamento na sua agenda. 

55. Tenha um método próprio de organização de tempo, simples e que se adeqúe às suas necessidades. Não adira a sistemas demasiado complicados, que ainda o fazem perder mais tempo. No meu caso, adopto algumas ideias do sistema GTD e do FlyLady. No entanto, faço só o que acho que se ajusta às minhas necessidades. De tempos a tempos, se necessário, faço alguns reajustamentos. 

56. Mantenha-se informado sobre dicas de gestão de tempo. Coisas aparentemente simples e, nas quais nunca pensou, poderão fazer a diferença na sua vida. Consulte a Net, leia livros ou revistas, ouça conselhos dos amigos(as)…

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Pensamento/Lema da semana #107







É uma falta de responsabilidade esperarmos 
que alguém faça as coisas por nós”.
John Lennon






Foto: Dustin Diaz

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Sugestão da semana #35: «controle o excesso de pessimismo, recorrendo à técnica de questionamento ABCDE»

Nem sempre é fácil ser optimista, principalmente nos dias que correm. Perante uma adversidade, por vezes ficamos tempos e tempos a ruminar na mesma coisa. Fazemos filmes na nossa cabeça, esperamos o pior e ficamos com a auto-estima lá em baixo.

Eu era dada a estas ruminações. Mas hoje em dia, felizmente, já me controlo melhor.

Se for excessivamente pessimista, é altura de dizer stop! Tente pelo menos fazer algo para melhorar a situação.

Esta semana proponho-lhe que quando lhe suceder alguma adversidade e der por si neste tipo de ruminações, recorra à "técnica de questionamento ABCDE". A ideia é controlar melhor os seus pensamentos, ao invés de deixar que estes o controlem a si.

Irá necessitar de um caderninho e caneta, ou se preferir, do seu computador. O objectivo é escrever sobre os temas abaixo propostos.

Eis os passos que deve seguir.
1.º A (Adversity = adversidade)
Nesta fase deve fazer uma breve descrição do problema que lhe sucedeu.
Ex.: Cometi um erro no trabalho.

2.º B (Belief = crença)
Seguidamente, identifique os pensamentos ou crenças que vieram de imediato à sua mente.
Ex.: Sou uma falhado, não presto para este tipo de trabalho. O meu patrão deve estar a pensar muito mal de mim.

3.º C (Consequence = consequência)
Neste ponto deve descrever as consequências de pensar assim, referindo como se sente e como age em virtude disso.
Ex.: Sinto-me imensamente triste. Fugi do patrão o dia todo, e tenho receio de o encontrar, do que ele possa pensar de mim.

4.º D (Dispute = questionamento)
Nesta fase deve questionar a validade dos seus pensamentos e crenças, procurar formas que demonstrem que os seus primeiros pensamentos não o ajudam e podem até estar errados.
Ex.: Será que um só erro, vai minimizar todo o empenho que já demonstrei até agora?
Este episódio foi ocasional? A responsabilidade foi só minha? Poderia tê-lo evitado?
Realisticamente, qual a pior consequência que pode advir deste erro? Qual a probabilidade dela vir a acontecer?
Qual me parece ser a consequência mais provável?
Os meus pensamentos ou crenças estão a ajudar-me a resolver alguma coisa?
Quais as soluções possíveis para resolver o problema?

5.º E (Energize = energizar)
Após o questionamento, deve encontrar explicações alternativas e mais optimistas para o seu problema. O objectivo é dar-lhe energia para agir, fazer com que se sinta menos ansioso e mais optimista. Refira também, quais as alterações na sua disposição.
Ex.: Parece-me mais realista acreditar que um só erro não irá comprometer todo o meu empenho. Em vez de fugir do patrão, irei falar com ele, assumir o erro e apresentar-lhe sugestões para o resolver. Assim verá que me preocupo em resolver as coisas. Já me sinto um pouco mais calmo por pensar que há solução para o problema.

O objectivo desta técnica é que adquira o hábito de questionar os seus pensamentos, quando os mesmos são demasiado pessimistas. É habituar-se a ser mais criativo no que toca a encontrar soluções para os seus problemas. É conseguir controlar as suas emoções, tantas vezes incapacitantes. É substitui-las por outras mais positivas, que o estimulem a agir para resolver a situação.

Encontrará mais sugestões para resolução de problemas neste post e para ultrapassar os momentos difíceis, neste outro.

Supere as adversidades e tenha um final de semana feliz!

Foto: Bethan

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Em preparativos para... o Natal!

A vossa questão deve ser: o quê, mas já?

Na realidade vou dedica-me só a um ponto: aquisição de presentes. 

Há dois motivos para o fazer:
1.º não quero andar a correr à última da hora, para comprar presentes;
2.º já reparei que na época de Natal os preços aumentam (por exemplo no ano passado, os brinquedos que comprei à Letícia antecipadamente, na altura do Natal custavam um mais 5,00 € e outro mais 10,00 €). 

Não é o meu caso, mas para quem gosta de oferecer presentes personalizados, feitos à mão, também pode começar nesta altura. 

Já tenho uma lista (de outros anos) das pessoas a quem quero dar presentes, o que é uma ajuda para não esquecer ninguém. Sigo ainda outras dicas que escrevi neste post.

E é assim. Agora faço tudo nas calmas, antecipadamente, sem stress.

Foto: dutch blue

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Coisas que gosto cá em casa: «a vista da minha varanda»

O ambiente sem dúvida que nos influencia e comigo, não é excepção. Na altura de escolher onde viver, confesso que a vista da minha varanda pesou bastante na decisão. Eu e o meu marido, após vermos umas dezenas de casas, ficámos rendidos a esta vista.

A investigação sugere que com o passar do tempo nos adaptamos e deixamos de dar valor. Então devo de ter algum "problema", porque ainda hoje fico com um sorriso nos lábios ao observar esta paisagem.

Adoro abrir a porta do quarto, assim, pela manhã, e ter esta imagem à minha frente. De vez em quando costumamos sentar nesta mesa e fazer uma refeição. Ao longe avistamos as águas reluzentes do rio e ficamos felizes por isso.


Há noite ou ao amanhecer (porque sou pessoa de acordar cedo), a vista é ainda mais deslumbrante!

Mesmo que não tenha uma vista fantástica, há sempre forma de dar um certo encanto ao ambiente que o rodeia. Eis algumas ideias:
1 - Inclua materiais naturais, como pedra ou madeira, na decoração. A ideia é trazer elementos da Natureza, que darão um ar acolhedor à sua casa;
2 - Opte por cadeirões bonitos, mas igualmente confortáveis, ou até uma rede, quem sabe... A ideia é que relaxe e descanse após um dia stressante;
3 - Esqueça as cortinas pesadas, deixe entrar a luz natural. Esta promove o nosso bem-estar, regulando os nossos ciclos biológicos de sono e o estado de vigília;
4 - Livre-se do excesso de objectos, opte por uma decoração simples, de acordo com a sua personalidade. Os excessos dar-lhe-ão a sensação de sufoco dentro da própria casa;
5 - Tenha um espaço só seu, onde possa relaxar sem estar a ser incomodado. Afinal a casa deve ser um refúgio para o stress do dia-a-dia;
6 - Espalhe plantas pela casa. Poderá inclusive aproveitar a varanda para cultivar ervas aromáticas ou produtos hortícolas de pequena dimensão. Estes elementos melhoram a saúde e o humor dos habitantes lá de casa.
7 - Cuide dos seus espaços exteriores. Se todos os vizinhos fizerem a sua parte, o bem-estar das pessoas aumenta num bairro bonito e bem arranjado! Que tal começar por si?

Fotos: Mafalda S.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Entrevista: «os alemães são pessoas felizes?»

Aproveitando que o meu marido esteve uns dias em trabalho na Alemanha, pedi-lhe para entrevistar um cidadão alemão (adiante identificado como C.) sobre «a felicidade alemã».

Apesar de ser um país rico e muito bem organizado, de acordo com o World Database of Happiness a felicidade média alemã é de 7,1 (numa escala de 0 a 10). É um valor elevado, mas significa que não é um dos países mais felizes do mundo (no topo da tabela encontra-se a Costa Rica com 8,5 e a Dinamarca com 8,3). Numa data de países, inclusive mais pobres, as pessoas sentem-se mais felizes do que na Alemanha.

Com esta entrevista, quis perceber porquê.

1 – Numa escala de 0 a 10, em que 0 é infeliz e 10 extremamente feliz, qual considera ser o seu nível de felicidade habitual? 
C.: 7. (Se repararem não anda muito longe da média, que é 7,1).

2 – Vários estudos indicam que a Alemanha, apesar de ser um dos países mais ricos do mundo, não está no topo dos países mais felizes. Quais pensa serem os factores que explicam o porquê dos alemães não serem tão felizes quanto deveriam? 
C.: Sinceramente o egoísmo de pensar no "eu" acima de tudo e todos e a preocupação em ter mais e mais dinheiro, a qualquer custo (da vida familiar, de ter um trabalho que não se gosta, etc.).

3 – Considera que a felicidade é uma questão cultural/de educação familiar ou tem a ver com o funcionamento da vossa sociedade (democracia, justiça, segurança social, escola, etc.)? 
C.: Penso que a felicidade alemã, a forma como se dá primazia à mesma ou não, advém essencialmente da educação familiar, dos valores que são transmitidos aos filhos.

4 – Na Alemanha existe pouca ou muita desigualdade social? 
C.: Felizmente há muito pouca desigualdade social. Isso é positivo, pois contribui para as pessoas serem mais felizes.

5 – A corrupção está controlada na Alemanha? 
C.: A baixo nível sim, está muito controlada. Por exemplo para emitir um documento ou uma licença numa Câmara Municipal, são necessárias várias assinaturas para garantir que ninguém é corrompido. No entanto, ao mais alto nível existe corrupção e essa não é fácil de controlar.

6 – O governo costuma atender à opinião dos cidadãos, na tomada de decisões políticas? 
C.: No papel sim, vem referido que o governo deve respeitar a vontade popular. Contudo, na prática fazem o que bem entendem, sem ter em conta a opinião do cidadão comum. (Não se realizam tantos referendos como, por exemplo na Suíça).

7 – Quando uma criança nasce, a mãe ou o pai costumam ficar com ela em casa, durante quanto tempo? 
C.: Por norma é a mãe que costuma ficar, cerca de 2 anos. Mas, uma nova lei, permite prolongar esse prazo. 

8 – Como é vivida a velhice na Alemanha? Costumam aproveitar a idade da reforma para actividades que lhes dão prazer (desenvolver um hobby, viajar, etc.)? Costumam frequentar Lares de Idosos? Têm o apoio que necessitam em termos de saúde? 
C.: Infelizmente são poucos os idosos que aproveitam a velhice para actividades que lhes dão prazer (só os mais abastados). A grande maioria acaba por ir para um Lar de Idosos. Sinceramente, os mais novos não querem "tropeçar" nos idosos lá em casa, estes por vezes são vistos como um "estorvo". A solução que melhor encontram para os apoiar é mesmo um Lar. No que respeita à saúde, esta está muito bem organizada e, ou é muito barata ou é gratuita. Qualquer pessoa, idosa ou não, tem o apoio que necessita em termos de saúde.

9 – Por norma as pessoas são felizes no trabalho? Escolhem uma profissão de que realmente gostam? Quantos dias por ano têm de férias? 
C.: Eu diria que cerca de 90% da população não é feliz no trabalho, pois não fazem o que realmente gostam  (isto é o oposto do que se passa na Dinamarca, onde as pessoas são incentivadas a escolher um trabalho que vá ao encontro do seu propósito de vida). Quanto aos dias de férias, quando se começa a trabalhar, por norma, tem-se direito a 30 dias úteis de férias. Passado alguns anos, os trabalhadores têm direito a um acréscimo de 2 dias por ano de trabalho.

10 – Costumam dedicar tempo durante a semana, a actividades que vos dão prazer (artes, convívio com os amigos, viajar, etc.)? 
C.: Isso sim. Adoramos passear no campo, andar de bicicleta, ter um hobby, etc.

11 – O que considera ser o melhor e o pior no funcionamento da sociedade alemã? 
C.: Acho que a sociedade alemã funciona muito bem, desde o sistema de Segurança Social, à saúde, à educação (as pessoas têm muitos apoios e, na maioria, são gratuitos). Pior só o egoísmo das pessoas.

12 – Conhece Portugal? Se a resposta for positiva, qual a sua opinião sobre o país, sobre o que ele tem de melhor e de pior?
C.: Sinceramente, não conheço o suficiente para dar opinião. (Só esteve cá de férias uma vez, em Lagos).
««»»
Esta é a opinião de um só cidadão, mas acaba por nos dar uma visão interessante da sociedade alemã. As conclusões que daqui podemos retirar, é que o dinheiro, por si só, não faz as pessoas mais felizes. Existem outros factores que intervêm na felicidade das pessoas.

Se por um lado, as pessoas se sentem satisfeitas com o funcionamento da sua sociedade (saúde, educação, apoios sociais, etc.), sentem que os impostos são bem direccionados e que existe pouca desigualdade social, existem aspectos que não funcionam tão bem. Destes contam-se a infelicidade no trabalho e a colocação do dinheiro acima de outros valores (estar com a família, ter uma profissão de que se goste mas mais mal remunerada, etc.).

De qualquer modo, esta entrevista já nos dá uma boa perspectiva do que poderá fazer ou não uma sociedade feliz. Agradeço, ao senhor C., pela sua colaboração!

Quanto a Portugal, tem de mudar em vários aspectos, para ter uma população mais feliz. Actualmente, a felicidade média das pessoas é de 5,7. Mas creio que a mudança, mesmo que seja aos pouquinhos, é possível. Temos mais força do que podemos imaginar! Um governo que se preocupasse realmente com a felicidade e bem-estar das pessoas também ajudava...

Foto: Mafalda S. - Rua típica alemã.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Pensamento/Lema da semana #106


"Quanto mais positivos formos em relação à nossa vida, mais positiva ela será. 
Quanto mais nos queixarmos, mais infelizes seremos." 
Oprah Winfrey

Foto: Micah Camara

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Sugestão da semana #34: «simplifique»

Um dos obstáculos à felicidade é o excesso de stress, que, por sua vez, pode advir de outros excessos (de tecnologia, de objectos, de trabalho, de actividades, etc.). A vida começa a sair do seu controle, passa a sentir-se esmagado por tanta tarefa e infeliz por não ter tempo para o que mais gostaria... são vários os sinais de que precisa de simplificar.

Isto faz-me lembrar alguém que quer organizar a festa de Natal perfeita. Planeia pratos tão complicados e convida tanta gente, que para tudo correr bem tem de estar enfiada na cozinha até estoirar de cansaço. Acaba por não conseguir apreciar a refeição, de tão cansada que está. E então se algo, mesmo insignificante, corre mal, generaliza: é como se tudo tivesse corrido mal naquela noite. E o balanço, ao invés de ser satisfação, é um stress enorme.

Isto ainda me faz lembrar outra coisa. Aquelas pessoas que acham tudo jeitoso lá para casa. Então se for uma promoção espectacular, compram na hora (mesmo que o objecto em questão não tenha qualquer utilidade). E com isto, o que conseguem? Dar mais trabalho a si próprias na hora de arrumar a casa.

Poderia dar aqui mais exemplos, mas resumindo, a complicação das coisas, poderá fazê-lo efectivamente mais infeliz. Por isso, a minha sugestão para esta semana é só uma: simplifique!

Mas, como fazê-lo?
1.º Registe o seu tempo durante uns dias, identificando a actividade que está a realizar e o tempo que despende nela. Com isto terá uma visão das actividades que são prioritárias (ex.: arrumar a casa), das desnecessárias (ex.: passar demasiado tempo ao telemóvel). Elimine ou reduza consideravelmente o tempo que perde com actividades desnecessárias.

2.º Faça um plano, que englobe as tarefas necessárias em várias áreas da sua vida (casa, trabalho, finanças, família, etc.), e defina como pode gerir melhor o tempo em cada uma delas:
Ex1: Objectivo - Reduzir o tempo que passa a limpar a casa;
Que fazer - Eliminar os objectos em excesso lá de casa;
Ganhos - Só com isto pode reduzir em cerca de 40% o trabalho doméstico. Resultado: mais tempo para actividades que o fazem feliz!

Ex2: Objectivo - Ser o mais eficiente possível durante o tempo de trabalho;
Que fazer - Organizar o seu escritório de modo eficiente;
Ganhos - Saberá encontrar facilmente qualquer documento. O tempo ganho fará com que possa realizar tarefas extras e evitar sair depois do horário.

3.º Planeie as suas tarefas com a devida antecedência (quer seja a organização das férias, da festa de Natal, ou as tarefas do dia-a-dia).

4.º Tenha uma agenda, se possível personalizada (adaptada às suas necessidades), onde possa planear a sua vida, o que inclui as tarefas acima mencionadas.

(Para sugestões extra, consulte o post sobre "Como simplificar a sua vida").

Com o passar do tempo, começará a sentir mais controle sobre a sua vida e, o melhor de tudo: terá mais tempo disponível para as coisas que o fazem realmente feliz.

Simplifique e tenha um final de semana feliz!

Foto: The green gables

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Frases inspiradoras para um dia positivo

Adoro começar o dia lendo uma frase inspiradora. Esta é uma forma de me motivar a agir e a pensar de forma positiva. 

Quer pensar positivo? Inspire-se nas frases destes grandes pensadores: 

1. "O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente". 
Mahatma Gandhi 
(Nota minha: nem mais, não basta sonhar, há que passar à acção... já). 

2. "O que eu faço, é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor.
Madre Teresa de Calcutá 
(Nota minha: sim, os nossos pequenos gestos podem contribuir para um mundo melhor - por mais pequenos que sejam). 

3. "Tudo tem alguma beleza, mas nem todos são capazes de ver". 
Confúcio 
(Nota minha: é isso mesmo, aprenda a ver beleza nas pequenas coisas. Coisas aparentemente simples, como ver um pôr-do-sol, poderão colocar-lhe um sorriso nos lábios... basta saber apreciá-lo). 

4. "Dê a quem você ama: asas para voar, raízes para voltar e motivos para ficar". 
Dalai Lama 
(Nota minha: não seja possessivo no amor, opte por ter acções diárias que mantenham acesa a chama do amor entre si e o[a] seu[sua] parceiro[a]).  

5. "Abaixo de um certo limiar de trabalho morre-se de fome e acima morre-se de sobrecarga laboral".
Sergio Fernández 
(Nota minha: dê o seu melhor durante o tempo de trabalho. Por outro lado, não sobreponha o trabalho a outros aspectos da sua vida: a sua família, a sua saúde, etc. A solução reside no equilíbrio). 

6. "Aquele que nunca viu a tristeza, nunca reconhecerá a alegria". 
 Khalil Gibran 
(Nota minha: quem disse que a tristeza não é importante? É humanamente impossível não sentir tristeza em alguns momentos. Pense que se estes momentos não existissem, não reconheceria a felicidade). 

7. "A educação move montanhas, constrói pontes, muda o mundo. A Educação é o caminho para o futuro".  
Oprah Winfrey 
(Nota minha: evolua sempre. A educação só pode melhorar a sua vida). 

8. "As crianças precisam mais de exemplos do que de conselhos". 
Joubert 
(Nota minha: há que prestar atenção às nossas acções, dar o melhor exemplo possível). 

9."Devemos nos comportar com os nossos amigos do mesmo modo que gostaríamos que eles se comportassem connosco". 
Aristóteles 
(Nota minha: a frase diz tudo...).  

10. "Frequentemente subestimamos o poder de um toque, um sorriso, uma palavra gentil, um ouvido à disposição, um elogio sincero, ou o menor acto de atenção, tudo aquilo que tem potencial para mudar a vida ao nosso redor". 
Leo Buscaglia 
(Nota minha: com pequenos gestos, podemos fazer os outros mais felizes. E o melhor, é que isso aumenta a nossa própria felicidade). 

11. “Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho”. 
Mahatma Gandhi 
(Nota minha: este é o meu lema de vida. Porque a felicidade não reside algures num futuro distante, antes constrói-se em cada dia que passa). 

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

O nosso papel na sociedade

Há dias conduzia o meu carro, quando reparei na quantidade de lixo que entupia as valetas da velha aldeia: desde latas, garrafas, sacos e sabe-se lá mais o quê.

Sempre que há anos de cheia, ouço as pessoas reclamarem que a Junta de Freguesia não quer saber, que não limpa as valetas, etc., etc.

Também há pouco tempo estive no Castelo da cidade. Foi tudo recuperado e está tudo com um aspecto bonito. 

Mas ao subir a Torre de Menagem, voltaram a aparecer as latas de bebidas pelo chão e... «arte rupestre» dos nossos dias, ou seja: desenhos do órgão sexual masculino e ainda fiquei a saber que "o João loves Ana" e por aí adiante.

O Jardim do Castelo também esteve sujeito a obras de reconstrução. Porquê? Porque numa noite alguém se lembrou de partir metros e metros de muro (devem ter sido umas 8 horas de trabalho "duro").

Também um dos monumentos lá inseridos tinha um vitral, que deve ter sido bonito em tempos. Hoje em dia, não resta um vidrinho para contar história.

A questão é: as entidades responsáveis têm obrigação de proceder às limpezas e reparações necessárias, para que as nossas comunidades tenham um aspecto bonito e acolhedor. Somos mais felizes em espaços belos e bem tratados! No entanto, temos igualmente de nos responsabilizar por essa beleza. Não podemos estar sempre à espera da acção dos outros.

A nós cabe-nos manter as ruas limpas, preservar os nossos monumentos e a Natureza que nos rodeia e, ensinar os mais jovens (com palavras e exemplos) a agirem da mesma forma. Pode pensar que atirar aquele papelito da janela do carro não faz muita diferença. Mas se todos resolverem fazer o mesmo? E que exemplo está a dar aos seus filhos se agir assim. Acredite, as crianças estão bem atentas.

Foto: bartb_pt

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Quanto açúcar consome por dia?

Há dias lia na Visão que os portugueses consomem, em média, 96g de açúcar por dia. É nada mais, nada menos, que quase o dobro do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (máximo de 50g/dia para um dieta de 2000 calorias).

Porque é que isto é preocupante? Pelas possíveis consequências que daí advêm: obesidade, hipertensão, hiperglicémia, alteração dos valores dos triglicéridos e colesterol, mau estado da pele e existem fortes indícios (apesar de ainda não estar totalmente provado) de estar associado ao cancro. É igualmente um "alimento" que poderá afectar negativamente a felicidade humana.

Agora que me decidi a reduzir o meu próprio consumo diário de açúcar, tenho estado mais atenta, inclusive ao açúcar escondido nos alimentos. Então nos snacks dirigidos a crianças, é um dó! Experimentem ir ao hipermercado e constatem como nesta área, há cada vez mais alimentos recheados de açúcar.

Mas como saber a quantidade de açúcar que consome por dia? Fazendo somas. Os fabricantes são obrigados a indicar nas suas embalagens a quantidade de açúcar dos produtos. Normalmente vem numa indicação que refere assim "Hidratos de Carbono, dos quais: Açúcares". O valor que lhe interessa é o da linha onde se refere a palavra Açúcares. Este valor normalmente aparece indicado por dose.

Vá somando ao longo do dia a totalidade de açúcar e obterá um valor aproximado do que consome. 

Então? Ultrapassou ou está dentro dos limites? Quando fiz isto pela primeira vez, confesso que ultrapassei e não foi pouco.

Só para ter uma ideia, recolhi informação sobre a quantidade de açúcar em alguns alimentos (claro que isto varia de marca, para marca). Espreite a figura a seguir:


O que me surpreendeu, é que com estes valores de açúcar "escondidos" o limite recomendado é facilmente alcançável. Mas nada como estarmos atentos. Se quisermos, é possível reduzir o consumo, para níveis bem mais saudáveis.

Imagem: Mafalda S.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Sugestão da semana #33: «alimentos para a felicidade»

Deve estar a pensar: "A Mafalda está a delirar. Mas que raio têm os alimentos a ver com a forma como me sinto?".  Antes que me recrimine, saiba que alimentação pode efectivamente ter um efeito cumulativo sobre a nossa felicidade. Uma coisa é cometer um erro de vez em quando, outra é cometer vários todos os dias. Acredite que os alimentos que ingere, podem realmente afectá-lo.

Esta semana sugiro-lhe que comece a fazer alterações na sua dieta, que possam influenciar a forma como se sente. Uma alimentação promotora de felicidade passa pelo seguinte:
- optar por alimentos frescos e integrais, de preferência biológicos;
- beber a água necessária ao seu organismo (utilize esta fórmula para ter uma ideia aproximada da quantidade que necessita);
- reduzir o consumo de açúcar (este é o alimento que reúne mais consenso entre especialistas, como o maior destruidor de felicidade na nossa alimentação);
- reduzir os cereais processados e optar por integrais;
- reduzir ou eliminar a cafeína;
- evitar a ingestão de gorduras saturadas;
- alimentar-se com refeições reconfortantes, que evoquem as suas memórias felizes (a sopa caseira da sua mãe, por exemplo).

Se quiser perceber em mais detalhe como a alimentação pode afectar o seu bem-estar, leia este post.

Alimente-se bem e tenha um final de semana feliz!

Foto: Daniel Horacio Agostini

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

2 formas de controlar o seu dinheiro

Em tempo de crise (e já estou fartinha dela!), mais do que nunca, é importante controlar o dinheiro que gastamos. 

Tenho 2 formas de controlar o dinheiro, de que ainda não vos falei.

A primeira é ter uma ficha com todos os meus contratos: telefone, internet, tv, seguros, etc. (copiei a ideia de uma amiga do trabalho - ela não se zangou). Mas vamos aos factos. A mesma deve conter as seguintes informações:
- Nome da empresa;
- Objecto do contrato;
- Data de início do contrato;
- Duração;
- Data de termo do contrato;
- Periodicidade do pagamento;
- Valor da prestação (mensal);
- Total anual;
- Data de aviso prévio (para não renovação do contrato).

O objectivo é antes do contrato terminar, negociar com as empresas melhores condições. Aquele que oferecer melhor relação qualidade/preço, passa a ser o meu fornecedor (se bem que há contratos que podem ser negociados a qualquer altura). Devo dizer, que tento sempre negociar com o fornecedor actual, mas se não conseguir cobrir a melhor oferta, paciência. Mudo, que eu não ando a nadar em dinheiro. 

Ah! Também sugiro fazer algo semelhante, no que respeita a contas poupança, ao crédito habitação, etc. É no renegociar que está o ganho... normalmente.

A segunda forma é ter uma ficha de registo de tarefas mensais. Esta trata-se de uma página que engloba todos os dias do mês, com uns quadradinhos para cada dia, onde registo as tarefas mais importantes a realizar. Normalmente, logo no início do ano, registo todos os pagamentos que devem ser feitos em determinados meses (por exemplo: pagamento do imposto de selo dos carros, idas à inspecção ou outros impostos). E o que ganho com isso? Na realidade nada, evito é gastos desnecessários com multas e juros de mora, por me esquecer de pagar alguma coisa. E acreditem, no passado, já me esqueci de pagar o selo do carro na data devida e... pimba, apanhei uma multa (que dinheiro mal empregado!).

Para não deixar estas folhas perdidas por aí, guardo-as na minha agenda de casa

E pronto, é isto. Até ver tem funcionado.

Foto: Ambert

terça-feira, 2 de outubro de 2012

13 sugestões para começar o dia de forma positiva

Se há coisa que me irrita é começar o dia com o pé esquerdo. Até parece que daí por diante só me acontecem chatices. 

Apesar de actualmente não deixar que os acontecimentos matinais me afectem tanto, há alguns truques que utilizo para começar o dia de forma positiva. É incrível como pequenos gestos conseguem melhorar o meu dia. 

Deixo aqui 13 sugestões para começar o dia de forma positiva. Poderá utilizar algumas, ou todas, na íntegra. O importante é que escolha o melhor para si. 

1 – Deixe tudo preparado de véspera – Não há nada mais stressante que ter de andar a correr, para preparar tudo à última hora. No dia anterior, prepare coisas como: a roupa e acessórios que vai usar, a comida que vai levar para o trabalho, a sua mala… Garanto que é meio caminho andado para reduzir a ansiedade. 

2 – Acorde cedo – Pode até custar de início, mas vai ver que vai valer a pena. Com o tempo extra poderá arranjar-se com mais tranquilidade, ter tempo para um pequeno-almoço saudável e para outras coisas que lhe permitirão sair de casa mais relaxado. Também evitará correrias desnecessárias no trânsito. 

3 – Comece o dia com um hábito relaxante – Podem ser só alguns minutos, mas se criar um hábito relaxante logo pela manhã, começará o dia com menos stress, mais energia e emoções positivas. Poderá tomar um banho morno, ver o nascer do sol (adoro esta!), meditar… Mas das técnicas que, comprovadamente, mais incrementam o sucesso e o optimismo é a visualização positiva. Agradeça mentalmente as coisas boas que tem (família, saúde, carreira, etc.) e visualize o melhor futuro possível para si. 

4 - Tenha um mantra pessoal ou leia um pensamento inspirador – Leia um pensamento inspirador ou tenha visível o seu mantra pessoal. O importante é encontrar algo motivante, que o leve a agir de forma positiva durante o dia. Poderá encontrar estes pensamentos em livros-calendários (daqueles que têm uma frase inspiradora para cada dia), na Internet ou nos seus livros preferidos. 

5 – Dê/receba uns miminhos da sua família – As pessoas mais felizes, não descuram das suas relações sociais e familiares. De facto, começar o dia com abraços e beijinhos ao(à) seu(sua) parceiro(a) e aos seus filhos, costuma reduzir o cortisol (hormona do stress) até cerca de 7%. 

6 – Coma um pequeno-almoço saudável – Jamais salte esta refeição, uma vez que a mesma repõe as suas reservas de energia. Aposte num pequeno almoço saudável e pouco açucarado. Assim irá sentir-se mais energético, concentrado e com uma atitude mais positiva para enfrentar o dia. 

7 – Coloque a sua banda sonora optimista – Tenha à mão um CD com as suas músicas favoritas, preferencialmente, aquelas que tiverem algum ritmo e que transmitem uma mensagem positiva. Investigações sugerem que a música (quando bem escolhida), poderá incrementar a sua energia, reduzir o stress e melhorar o seu humor. 

8 – Faça exercício físico – Além dos benefícios físicos, o hábito de fazer exercício logo pela manhã, diminui os níveis de stress e eleva os níveis de serotonina e de dopamina, aumentando a sensação de prazer e relaxamento. Poderá dedicar alguns minutos a fazer alongamentos, a fazer caminhada ou algum outro exercício que seja do seu agrado (espreite esta sugestão).

 9 – Reveja a sua "to do list" – Começar o dia sem saber muito bem o que fazer ou quais as suas prioridades, é meio caminho andado para não cumprir os seus objectivos. Tenha uma lista com tudo o que necessita de ser feito e assinale as tarefas mais urgentes. Sempre que concluir uma tarefa, risque-a da sua lista. Isso dar-lhe-á uma sensação de alívio e dever cumprido.

10 – Comece por fazer a tarefa mais importante/difícil – Nem todas as horas do dia são iguais, sendo que os seus níveis de produtividade são maiores de manhã. Aproveite para concretizar a tarefa que considerou prioritária nestas alturas, quando terá mais probabilidade de se dedicar a 100% à mesma. Isto irá deixá-lo menos ansioso o resto do dia.

11 – Aprenda algo novo – Ler um pouco ou ver as últimas notícias sobre uma área do seu interesse, fará com que aprenda algo de novo e poderá inspirar positivamente as suas acções durante o dia.

12 – Relacione-se com pessoas positivas – Ligar-se a pessoas positivas logo pela manhã (um amigo, um colega de trabalho, um familiar…), poderá influenciar significativamente o seu dia. Em oposição, evite as pessoas que o desanimam, são agressivas ou estão zangados com tudo e com todos. Como as emoções são contagiosas, as pessoas com quem nos relacionamos, podem influenciar e muito o nosso dia.

13 – Tenha uma atitude positiva – Sorria às pessoas, seja simpático, anime quem está à sua volta, assuma uma postura positiva, aja como uma pessoa feliz. A verdade é que se exprimir como se estivesse muito feliz, mesmo que finja um pouquinho, o seu corpo emite sinais ao cérebro de que está a experimentar dada emoção e isso faz com que seja mais provável de experimentá-la na realidade. Para além das posturas físicas, imitar as atitudes das pessoas mais felizes poderá contribuirá para a sua própria felicidade!

Have a nice day! 

Foto: Rev. CD-Rom Fácil

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Pensamento/Lema da semana #104

As famílias felizes parecem-se todas; 
as famílias infelizes são infelizes cada uma à sua maneira.”
Léon Tolstoi

Related Posts with Thumbnails