quarta-feira, 14 de setembro de 2011

J. K. Rowling, a senhora que nunca desistiu

A história de vida de J.K. Rowling é, sem dúvida, uma inspiração para mim.

Joanne Rowling nasceu a 31 de Julho de 1965 e desde pequena que tomou o gosto pela leitura. Com apenas 6 anos escreveu o seu primeiro livro Rabbit, a história de um coelho chamado Rabbit que apanha sarampo e que é visitado pela Miss Bee (Sr.ª Abelha).

Ao longo da vida foi recebendo influências de diversos escritores, fazendo eclodir em si o sonho de ser escritora.

Foi numa viagem de comboio para Londres que lhe surgiu a ideia precursora do seu sucesso: a criação da personagem Harry Potter. Como refere a própria escritora “A ideia de Harry Potter surgiu de repente na minha mente (...) e nenhuma outra ideia me tinha animado tanto quanto essa.” Foi assim que com 25 anos, Joanne começou a rabiscar os primeiros textos de Harry Potter.

Contudo, esse ano viria a ser marcado pela tragédia pessoal. A mãe faleceu de esclerose múltipla, com apenas 45 anos. De regresso ao seu apartamento, descobriu que havia sido assaltado, e depois de uma briga séria com o namorado, acabou por sair de casa. Decidiu assim rumar a Portugal, após responder a um anúncio para dar aulas de Inglês.

Já no Porto, Joanne conheceu aquele que viria a ser o pai da sua primeira filha, o português Jorge Arantes. Conheceram-se num bar e pouco depois passaram a viver juntos. No entanto o relacionamento tempestuoso e repleto de brigas não viria a durar muito. No calor de uma discussão com o então marido, Jorge expulsou-a de casa. Ela acabou por pegar na bebé e abandonou o país.

De regresso ao Reino Unido, Joanne viu-se envolvida nas malhas da pobreza. Sem dinheiro e sem esperança, acabou por cair numa depressão. Mudou-se para um apartamento na Escócia, onde com muitas dificuldades, vivia da ajuda do governo.

Por esta altura Joanne passeava a filha no seu carrinho de bebé. Quando ela adormecia aproveitava para ir a bares, escrevendo até que a filha acordasse. E assim ia criando a história de Harry Potter.

Finalmente, algum tempo depois começaram a surgir as boas notícias: conseguiu um emprego, divorciou-se do primeiro marido e após recusa de várias editoras, conseguiu publicar o seu primeiro livro “Harry Potter e a Pedra Filosofal” (isto após 7 anos de o ter começado a escrever). A primeira edição foi pequena, é certo, (1000 exemplares, sendo que 500 destinaram-se a bibliotecas), mas mesmo assim Joanne ficou felicíssima.

Logo de início o livro obteve imenso sucesso. Com o dinheiro que ganhou Joanne comprou um apartamento mais espaçoso e num lugar mais seguro. Quando se mudou dessa casa, ofereceu-a a uma mãe solteira de quem se tornara amiga.

O sucesso do primeiro livro abriu as portas para um e mais outro, e assim sucessivamente - tal como ambicionado por Joanne. Conseguia assim concretizar o seu sonho de ser escritora.

Acabando por tornar-se milionária, encaminhou parte da sua fortuna para causas sociais: ajuda aos portadores de esclerose múltipla, apoio a mães solteiras, combate à pobreza, ajuda a crianças com deficiência mental, a artistas incapacitados, a crianças carenciadas…

O amor acabou por voltar a sorrir-lhe, tendo casado com o médico anestesista Neil Murray. Teve mais dois filhos.

O sucesso editorial continuou, superando todos os sonhos de infância.

E quais as lições que retiro da vida de JK Rowling? Passo a citá-las:

1 – Para concretizar os nossos sonhos, é necessário trabalhar neles todos os dias. - Tal como Joanne fazia, escrevendo os seus textos sempre que podia.

2 – Devemos ser persistentes, se queremos alcançar algo. – Mesmo nos piores momentos, Joanne nunca deixou de escrever. Para além disso, teve de aguardar 7 anos desde que começou a escrever, até à publicação do seu livro.

3 – Não devemos ficar desanimados quando ouvimos um não. Há que continuar a lutar. – Quantas vezes a Joanne ouviu recusas de editoras, mas mesmo assim não desistiu.

4 – Devemos animar-nos com os pequenos sucessos e estes devem servir de motivação para continuarmos a lutar. – A escritora ficou felicíssima mesmo com uma edição tão limitada como foi a primeira (somente 1.000 exemplares do seu livro). Esse foi o primeiro passo na sua escalada de sucesso.

5 – É importante praticarmos solidariedade, para também darmos esperança aos que nos rodeiam. – Quando teve possibilidade, a escritora ajudou causas que de alguma forma até estiveram relacionadas com os piores momentos da sua vida, como a doença da sua mãe, a sua situação de pobreza e o facto de ter sido mãe solteira.

6 - Há que ter esperança que a nossa vida pode melhorar. – A história de vida de J.K. Rowling é exemplo disso mesmo. Acontecerem-lhe diversas tragédias pessoais, mas deu-se uma reviravolta tal na sua vida, que superou em muito as suas expectativas. Ser feliz, afinal era possível.

Foto: Daniel Ogren

13 comentários:

  1. Excelente análise e bons pontos de vista! Concordo com todos e acredito que a nossa vida corre melhor se os seguirmos! Beijinhos grandes!

    ResponderEliminar
  2. Já conhecia um pouco da sua história, mas agora fiquei a saber mais, obrigada pela partilha...
    Essa Sra. é um bom exemplo.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Linda história de vida, inspiradora mesmo, obrigada
    bjs

    ResponderEliminar
  4. Minha querida!
    Que linda história de superação... Amei!
    Para concretizar nossoa sonhos precisamos ter persistência, trabalhar neles todos os dias e ter esperança. Grande verdade!
    Abraços! Linda tarde pra ti.

    ResponderEliminar
  5. Sem dúvida uma grande história. E não há assim tantos escritores que conseguem sobreviver só com o ser escritor, ela teve mesmo sucesso. De lembrar que ela também fez uma fortuna com os filmes do Harry Potter e que a história do menino feiticeiro começou a ser escrita em Portugal.

    ResponderEliminar
  6. Adorei! já tinha lido na revista da Oprah a entrevista à J.K.Rowling, mas nunca é demais relembrar este grande exemplo que ela é e continuar a acreditar nos sonhos e no nosso potencial!

    ResponderEliminar
  7. Eu gosto bastante da autora, basicamente cresci com os livros de Harry Potter que, por sua vez me deram muito ânimo para aguentar com o que passei na minha infância.

    Recentemente, numa entrevista ela disse que o melhor que tinha recebido fora uma rapariga que lhe dissera: "você foi a minha infância". É precisamente isso que sinto, assim como essa rapariga, a minha infância foi pautada com bastantes maus tratos e situações muito complicadas e o Harry Potter passou a ser fonte de esperança.
    Para além de ter sido " a minha infância", acredito que ela é a razão por ter tido esperança e perseverança em mudar a minha vida - hoje sou feliz, tenho um filho e uma familia e faço tudo o que estiver ao meu alcance para impedir que o meu filho tenha uma infância similar à minha.

    Parte dessa força vem do exemplo que a autora deu - o Harry Potter.

    ResponderEliminar
  8. bom exemplo de inspiração e superação.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails