segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Pensamento/Lema da semana #307


"As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, 
alegram-se com o presente 
e encaram o futuro sem medo." 
Epicuro 

Foto: Jill111
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Destralhamento total da casa - Ponto de situação #9

Sinto-me com o coração cheio. Estou a poucos passos de alcançar o meu objectivo, de destralhar totalmente a casa. Quero por isso fazer mais um ponto de situação. Falar de resultados e do que tenho aprendido nesta jornada.

Número de áreas a destralhar e organizar 
Se já conheces o meu plano, sabes que distribui o destralhamento e organização por áreas muito pequenas. Assim, neste momento, de um total de 227 áreas, faltam-me 18! 

Cronograma 
Cada área a destralhar corresponde a 1 dia, e o objectivo a que me propus é de destralhar 4 áreas por semana. Contudo, desta vez só fiz 1 área por semana.

Não que tivesse feito diferente, não que tivesse desanimado, mas porque as tarefas que tive em mãos foram avassaladoras (tal era a quantidade de tralha).

Destralhei e organizei as fotografias e as revistas (que eram mais de mil!)... Daí que para ficar organizado, tal qual sonhei, levou o seu tempo.

Motivação 
Completamente em alta! A verdade é que me sinto super-entusiasmada para alcançar esta meta. Para mais agora, que estou bem próxima de a atingir.

Continuo a ler o segundo livro da Marie Kondo, "Alegria", para me manter motivada. Leio só um pouquinho cada dia. A ideia é ter sempre o que ler até ao final do meu plano - para manter o entusiasmo. Daí estar a ler tão lentamente (é também essa a razão para ainda não ter  falado deste livro no blog).

Como destralhar e organizar livros e revistas
Algumas das pilhas de revistas cá por casa.
Os livros e revistas cá por casa eram realmente muitos. Mas há uma diferença substancial entre ambos.

Tinha imensas revistas que havia comprado por causa de um único artigo, enquanto que nos livros sempre fui mais selecta. Aquilo que comprava era o que realmente adorava (e adoro) ler e reler. Assim, posso dizer que só destralhei revistas. Os livros foram uma rara excepção que escapou ao destralhe. Somente tive de os organizar.



Eis as estratégias que utilizei no destralhe e organização de livros e revistas.

- comecei a destralhar várias revistas por dia, ao longo de todo o processo de destralhamento. Poderia tê-lo feito de forma mais rápida. Mas analisar tanta revista, verificando cada artigo, levaria bastante tempo. Daí ter começado este processo logo no início do plano. E fi-lo porque uso o material das revistas no meu dia-a-dia, nomeadamente como fonte de informação para o blog. Assim, é um recurso de trabalho. Claro que há quem não necessite de folhear, bastando-lhe olhar as capas. Mas não era o meu caso pessoal.

- digitalizei o que costumo utilizar no computador. Deitei fora todas as revistas de decoração, guardando somente algumas fotos (realmente inspiradoras). Digitalizei, porque é no computador que costumo ver este tipo de fotos. Não valia a pena manter as revistas, porque o que gostamos em termos de decoração, é algo que se vai modificando com o tempo. 

Guardei as revistas de culinária na cozinha mas deitei fora todos os recortes de revistas/jornais com receitas. Digitalizei aquelas que realmente gostava e eliminei o resto, inclusive este dossier. A verdade é que tenho uma pasta no computador só com as minhas receitas preferidas. E como as costumo usar assim, não valia a pena mantê-las em papel.

tentei guardar as colecções na vertical. Em termos de revistas, foram poucas as colecções que mantive. Só aquelas realmente úteis ou que me dão horas de prazer, enquanto as leio. 

Na imagem abaixo, um «antes e depois» de 2 colecções de revistas. Para ser franca quando tirei foto do antes, já tinha organizado a prateleira de cima, mas a de baixo encontrava-se naquele estado lastimável.
As poucas colecções de revistas que mantive

Tentei ao máximo deixá-las na vertical e com os títulos visíveis (o espaço nem sempre o permitiu). Desta forma torna-se mais fácil encontrar o que preciso.

O dossier azul tem fotocópia dos índices das revistas da prateleira de baixo (são revistas de educação infantil, cujas fotocópias dos índices fazia logo que as comprava). Pode soar ridículo. Mas a verdade é que quando quero pesquisar um tema, este dossier ajuda-me imenso.

guardei somente artigos de revistas que me interessam. O resto da revista deitei fora. Foram sacos e sacos de papel para a reciclagem.

reuni o que gostaria de manter, por categorias. Como o que decidi manter estava relacionado com os meus temas favoritos (normalmente o que costumo abordar no blog), foi fácil distribuí-los por categorias. Cada pilha de livros ou de artigos de revistas (foto abaixo), representava uma categoria específica.

Organizando os livros e artigos de revistas por categorias.

criei esquemas de organização na minha agenda. Após cada destralhe, e antes de organizar fisicamente, costumo fazer «esquemas de organização». Primeiro faço uma lista com todas as categorias. De seguida faço um desenho ou esquema onde defino o lugar onde vou guardar cada categoria de objectos. Aqui, à esquerda, encontra-se o esquema de organização dos artigos de revista (que guardei em 4 dossiers):

À esquerda: esquema de organização dos dossiers com artigos de revistas.
À direita: separadores dos dossiers, baseados nos esquemas de organização.

No caso dos livros, fiz um desenho das estantes, indicando onde guardá-los de acordo com as suas temáticas.

coloquei os artigos de revista em dossiers. O que realmente me interessava, coube em 4 dossiers:
Centenas de revistas reduzidas a 4 dossiers, só com temas que adoro.

1) dossier "Felicidade";
2) dossier "Saúde & Bem-Estar I";
3) dossier "Saúde & Bem-Estar II";
4) dossier "Vida Prática".

Cada dossier aborda um tema geral, e está dividido em sub-categorias. Por exemplo o dossier com a temática geral da "Felicidade" aborda sub-categorias como "Optimismo", "Auto-estima/Auto-confiança", "Sociedades Felizes".






- recorri a separadores de dossiers para organizar os artigos de revistas por temas específicos. Deste modo, é fácil encontrar determinado artigo, ou saber exactamente onde guardar um artigo novo.
À esquerda: artigo incluído no separador "felicidade" (dossier "Felicidade").
À direita: artigo do separador "destralhe e minimalismo" (dossier "Vida Prática").
À esquerda: artigo incluído no separador "sociedades felizes" (dossier "Felicidade").
À direita: artigo do separador "parentalidade positiva" (dossier "Vida Prática").

- registei o nome da fonte bibliográfica de cada artigo. Fi-lo, escrevendo a referência bibliográfica num cantinho do artigo. Isto porque se escrever algo baseado num artigo, terei forma de indicar a minha fonte de informação.

- organizei os livros na vertical e de acordo com o tema que abordam. 
Livros organizados na vertical
(cada prateleira reúne livros da mesma categoria).
























Distribuí-os por 4 estantes do escritório e 2 prateleiras na sala. 

Quando os comecei a organizar, encontrei 37 sub-categorias diferentes, que dividi por 6 categorias principais (uma categoria por estante e pelas 2 prateleiras da sala):
- ficção e literatura infantil & juvenil;
- história, ciências e línguas;
- saúde & bem-estar;
- desenvolvimento pessoal & relações;
- religião (numa prateleira na sala);
- viagens & geografia (numa prateleira da sala).

Com excepção das 2 últimas categorias, todas elas se dividem em sub-categorias. Por exemplo, na estante da «saúde & bem-estar» tenho livros sobre: saúde, exercício físico, meditação, stress e inteligência emocional, etc.

O que descobri com esta organização
Enquanto organizava percebi que estes livros e revistas dizem muito de mim. Da minha personalidade e das minhas paixões. Tanto livros como revistas, todos abordam temas semelhantes, que realmente fazem a diferença na minha vida. 

Após deitar fora o que não interessava, ficou só o que adoro, o que me faz feliz. 
E agora sim, tenho uma biblioteca verdadeiramente apaixonante!

Fotos: Mafalda S.
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Pensamento/Lema da semana #306


"Nas nossas vidas diárias, devemos ver que não é a felicidade que nos faz agradecidos, 
mas a gratidão é que nos faz felizes.
Albert Clarke

Foto: Brenkee
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Pensamento/Lema da semana #305


As pessoas que vivem na simplicidade estão em paz consigo mesmas e também com o mundo. 
(...) A Simplicidade gera energia positiva e ao mesmo tempo FELICIDADE. 
Experimente ser uma pessoa simples, 
sua vida vai mudar para melhor (…).” 
Sérgio Furquim

Foto: jill111
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Pensamento/Lema da semana #304


"Antes de desejarmos fortemente uma coisa, 
devemos examinar primeiro qual a felicidade daquele que a possui." 
La Rochefoucald

Foto: Kai C. Schwarzer
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

quinta-feira, 28 de julho de 2016

20 Coisas que me fazem sentir grata neste momento


"Há duas formas de viveres a tua vida.
Uma é como se nada fosse um milagre.
A outra, é como se tudo fosse um milagre."
Albert Einstein

Hoje acordei cedo. Ainda mais cedo do que o habitual - eram 5h da manhã. Organizei algumas coisas em casa e, depois sentei-me na varanda, enquanto o céu com tonalidades rosa vivos anunciava o nascer do sol. Enquanto bebia um leite frio com cacau puro, observava todos os pequenos milagres à minha volta. Os primeiros raios de sol, que tornavam brilhantes os telhados e a copa das árvores. O rio que tudo reflectia, tal qual um espelho. O animado chilrear dos pássaros. O homem que atravessava a ponte na sua bicicleta. 

Tudo isto pode parecer corriqueiro, mas se olharmos com «olhos de gratidão», percebemos que todos os momentos bonitos do nosso dia são pequenos milagres

Por esta altura do ano (altura do meu aniversário - que neste caso, foi no Domingo), costumo fazer uma reflexão sobre a minha vida. Mas este ano vou fazer diferente. Em vez de pensar no que corre bem e no que corre mal, quero olhar com os ditos «olhos de gratidão». Quero focar a minha atenção no que tenho de bom. 

Quando aprendemos a olhar para a nossa vida com «olhos de gratidão», valorizamos o que temos, não o que falta. E isto só nos torna mais felizes! A minha vida poderia ser melhor? É certo, mas também poderia ser pior. O importante é sentir-me grata com o que tenho de bom neste momento e com o percurso que fiz para chegar aqui. Tenho sonhos, muitos sonhos. Mas não é somente adiante que me farão feliz. Cada passo que dou no meu dia-a-dia para os alcançar, também vale a pena. 

Olhando para a minha vida, eis 20 coisas que me fazem sentir grata neste momento:
1 - Tenho um blog que transformou a minha vida - para melhor! A escrita nunca foi uma obrigação, mas o facto de sentir um certo «comprometimento» para o manter actualizado, levou-me a fazer imensas pesquisas e a testar uma série de coisas na minha vida. Esta trajectória acabou por me levar ao caminho do autoconhecimento e, a partir daí, ao desenvolvimento pessoal. A minha sede de aprender - já de si grande - parece ter aumentado. A vontade de lutar pelos meus sonhos também. E tudo isso me fez mais feliz do era.

2 - Ter o homem da minha vida ao meu lado. O meu amor, o meu companheiro de aventuras. Ainda hoje me surpreendo com isto do amor. Com tantos milhões de pessoas no mundo, é incrível duas delas gostarem justamente uma da outra.

3 - O milagre da vida, que fez com que tivesse dois filhos maravilhosos. Não tem preço o sorriso que o Lucas me dá assim que acorda. Nem os miminhos da minha filha - o facto de estar sempre a dizer que me ama e a cumplicidade que cresceu entre nós.

4 - Assistir ao nascer do sol da minha varanda. Estar ali sentada, enquanto o resto da casa dorme. Lendo um livro ou contemplando as cores do céu. Estes momentos só meus são uma bênção no meu dia. Bem... aquela varanda é também ela uma benção. Como diz o meu marido, "cada dia mostra-nos um «postal» diferente".

5 - Ter a casa totalmente paga e não ter quaisquer dívidas ao banco. Não foi uma tarefa fácil alcançar este objectivo. Deu luta e levou anos a concretizar. Mas também me mostrou que com persistência e trabalho, podemos alcançar os nossos sonhos.

6 - Ter o peso que sempre desejei (54kg), após anos de magreza a mais. Para mim, não é fácil valorizar a parte física. Sou mais crítica do que desejaria comigo mesma. Pelo que ter começado a valorizar-me, é sinal de que estou a evoluir.

7 - Ser na generalidade saudável. O facto de ter trabalhado anos com pessoas com várias limitações, fez-me também valorizar o que temos como garantido. É uma bênção ter pés que me sustentam, pernas que me levam a todo o lado, braços que me ajudam nas tarefas diárias, olhos para ver o mundo, audição para escutar...

8 - Ter motivação suficiente para (quase todos os dias) fazer alguma coisa pelos meus sonhos. Ou estou a pesquisar ou estou a agir. E quando os resultados chegam, mesmo que sejam pequenas vitórias, fazem-me seguir em frente... com toda a garra possível.

9 - Estar a destralhar a casa e ir vendo a sua transformação. Aos poucos vai-se tornando um lugar mais tranquilo. Um refúgio onde apetece viver.

10 - Ter uma biblioteca recheada de livros que adoro. Que bons momentos que me proporcionam! E tão preciosos os seus ensinamentos.

11 - As fotografias que tenho guardadas em álbuns e no computador. Transportam-me para momentos felizes que já vivemos ou fazem-me sonhar com que há-de vir.

12 - As partes da casa que já tenho renovadas e que dizem muito da nossa família - daquilo que somos e do que desejamos para nós mesmos. Só não renovo o resto já, porque quero deixar o Lucas crescer mais um pouquinho - quero que lhe passe a fase de riscar as paredes... :)

13 - Cada viagem que fiz, porque a felicidade é feita de experiências positivas. Sinto-me grata por ter conhecido a história, paisagens, sabores de outros lugares. Apreciei cada road-trip, dentro e fora do nosso país. E adoro quando faço saídas pontuais, como no Domingo passado, a Sintra.

14 - Provar comidas diferentes e ter uma família que partilha esse gosto. Porque as culturas também se conhecem pela comida. E porque a boa comida também cria experiências felizes.

15 - Os passeios lentos após o jantar. Entramos no carro, colocamos uma música agradável e vamos apreciando cada detalhe bonito da nossa cidade e das terras vizinhas. Quão bonita é a arquitectura, os espaços verdes,  as mil luzinhas da noite que vemos dos locais mais altos... Não sei, mas ficamos mais relaxados e os lugares parecem-nos mais encantadores.

16 - O facto de viver numa cidade linda. É pequena. A vida corre lentamente. Mas há animação no centro, exposições, um centro histórico renovado, interessantes detalhes arquitectónicos, espaços verdes bem tratados e pessoas acolhedoras. Só tenho pena de faltar o mar... temos o rio!

17 - Quando encontro um espacinho de tempo e consigo assistir aos meus programas de TV favoritos. O "House Hunters International" no Travel Channel, o programa de culinária da Filipa Gomes, um bom filme...

18 - A minha banheira, os sais, a espuma, a luz das velas. Tão relaxante! É certo que agora só consigo fazer isto muito cedo e escassas vezes. Mas são tão preciosos estes momentos!

19 - Quando massajamos as costas uns dos outros. A tradição foi o marido que a trouxe. E entranhou-se. Até o Luquinhas gosta destas massagens antes de dormir. Fica muito sossegadinho e supira agradado. Sorri. Sei que está feliz. Todos nós estamos.

20 - A primeira palavra mais comprida do Lucas - ou seja, além de «mamã», «papá», «olá»... - dita agora que tem 1 ano e meio, foi... justamente «obigada»! Agradece se lhe damos alguma coisa, mas também se nos dá uma coisa a nós. Tão, mas tão fofo!

««»» 

Pensar nisto fez-me bem. Pensava não conseguir encontrar 20 motivos para a minha gratidão. Agora percebo que até encontraria mais. O segredo talvez esteja em parar e prestar atenção ao que temos de bom. Valorizar. Apreciar. Agradecer.

E tu? Já pensaste em fazer este exercício? Consegues enumerar 20 coisas pelas quais te sentes grato(a)?

Uma coisa é certa, reconhecer que nos acontecem coisas boas, ajuda-nos a valorizá-las 
e esse reconhecimento faz-nos mais felizes.
Experimenta!
Foto: Mafalda S.
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Pensamento/Lema da semana #303


"Se julga que arrumar se resume a livrar-se do excesso, engana-se. 
Mantenha sempre presente que o verdadeiro objectivo é 
encontrar e manter as coisas que verdadeiramente aprecia, 
expô-las com orgulho na sua casa e ter uma vida plena de alegria."
Marie Kondo

Foto: Bali Villas
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:
Related Posts with Thumbnails